Variáveis de ambiente no Linux

Você sabe o que são e para que servem as variáveis de ambiente no Linux? Se não, vou detalhar de maneira bem simples para que você compreenda melhor. Se você já sabe, lembre-se que conhecimento nunca é demais!

De modo geral, variáveis (em linguagens de programação) são espaços de memória que armazenam valores. Esses valores podem conter vários tipos de dados, que vão depender da linguagem que você está utilizando.

No Linux também podemos utilizar variáveis, chamadas de variáveis de ambiente, diretamente no shell. Elas podem conter valores que podem então ser utilizados por aplicações ou para seu próprio benefício.

Você pode criar suas próprias variáveis de ambiente ou utilizar as que já existem no sistema. Além disso, você pode criar variáveis temporárias, apenas para utilização em determinado shell, sem salvar nada permanentemente e/ou afetar o funcionamento normal do sistema.

Se você precisa ver agora mesmo quais variáveis de ambiente estão definidas no seu computador, simplesmente utilize um dos comandos abaixo.

  • set – Exibe basicamente tudo o que está definido para o ambiente em que você está. Por exemplo, se você definir uma variável de ambiente local, ela será exibida apenas no shell em que você a definiu. Também exibe variáveis globais e funções. Para facilitar a visualização, é comum utilizarmos “set | grep NOME_DA_VARIAVEL”.
  • env – Exibe todas as variáveis de ambiente globais, ou seja, as variáveis de ambiente definidas para todo o ambiente do sistema e que podem ser utilizadas em qualquer aplicação ou shell. “env” também exibe variáveis locais de ambiente locais que foram exportadas com o comando “export”.

Observação: Perceba que não estamos falando em funções aqui, o conceito de variável local e global descrito aqui é para indicar que uma variável está disponível apenas no shell em que ela foi criada (local) ou para todo o sistema como um todo (global).

Criando variáveis de ambiente no Linux

Para criar uma variável de ambiente, digite o seguinte:

export VARIAVEL="VALOR"

Perceba que a palavra “export” é exatamente o que torna a variável criada, uma variável de ambiente. Você pode utilizar uma variável de ambiente da seguinte maneira:

echo $VARIAVEL

O comando “echo” exibe o valor da variável.

Veja um exemplo onde uma variável de ambiente é bastante útil:

~$ export UTIL="/media/luizotavio/Externo/hd_antigo/Backup/Utilitarios/" 
~$ cd $UTIL
/media/luizotavio/Externo/hd_antigo/Backup/Utilitarios$

Perceba que no comando acima, defini o valor da variável “UTIL” como um caminho bastante longo. Tal caminho agora pode ser acessado utilizando apenas o valor de $UTIL, que neste caso é “/media/luizotavio/Externo/hd_antigo/Backup/Utilitarios/”.

Visualizando variáveis de ambiente no Linux

Se você quiser saber se uma variável de ambiente está disponíveis no seu Linux, simplesmente digite:

env | grep UTIL

Neste caso estou buscando pela variável “UTIL” dentro das variáveis de ambiente do meu Linux, como eu havia definido essa variável anteriormente e ainda não fechei o terminal, o valor obtido será:

$ env | grep UTIL
UTIL=/media/luizotavio/Externo/hd_antigo/Backup/Utilitarios/
$ 

Se eu fechar o terminal, essa variável de ambiente deixará de existir e eu terei que criá-la novamente. Isso caracteriza uma variável de ambiente local, pois ela pertence apenas ao shell que a criou e não afeta o sistema como um todo, nem poderá ser utilizada por outro shell.

Tornando variáveis de ambiente permanentes

Existem vários locais onde você pode salvar suas variáveis de ambiente para torná-las permanentes, cada um afeta algo diferente. Por exemplo, se você pretende que todos os usuários do sistema também tenham acesso à variável de ambiente que vai criar, edite o seguinte arquivo:

sudo nano /etc/bash.bashrc

Se quiser que criar uma variável de ambiente apenas para você, edite o arquivo:

nano .bashrc

O arquivo .bashrc fica na sua $HOME e também funciona com aliás e outras coisas relacionadas ao bash.

Vídeo tutorial

O vídeo tutorial abaixo descreve o mesmo que o artigo acima:

Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=i2VKOyf0PmU

Espero que tenha gostado.